0
Seu carrinho está vazio :(

Revestimento hexagonal: um coringa da decoração

Publicado em 01.11.2021 |
131 visualizações

Versatilidade é a palavra que define essa opção que se encaixa em qualquer projeto

reveeerevest 7

O formato remete às colméias e a peça tem virado uma tendência do décor. Por fugir do tradicional, ser atemporal e caber em todo tipo de decoração, do vintage ao moderno. Pode ser usado de diversas maneiras e complementa diferentes estilos.

Não por acaso tem se tornado tão queridinho entre os designers de interior. Nessa linha, uma das tendências mais populares é a de juntar losangos que formam hexágonos. Mas são muitas as possibilidades de encaixe das peças e, por isso, fica fácil customizar o projeto e deixá-lo com a sua cara.

Leia também: Decoração de interiores em prol da felicidade

5 cuidados na decoração com espelhos segundo o Feng Shui

O banheiro é um cômodo que já se rendeu faz tempo a esse revestimento. É muito comum vê-lo nessa área da casa. E a criatividade não precisa ter limite aqui: combinações, mistura de cores, criação de desenhos que fujam do padrão estão entre as coisas que o hexagonal oferece e que são bem menos possíveis com outros formatos mais tradicionais.

revest 11

 O formato também permite trazer soluções inusitadas para ao espaço. Aquela salvação para um cantinho que precisa de algo criativo e fora das medidas padronizadas.

É isso, afinal, que a possibilidade de diferentes configurações oferece: a tal versatilidade, né. Como, por exemplo, quando se cria a transição de um espaço para outro, em que dois pisos se misturam de forma fluída. Você consegue imaginar esse efeito com um revestimento quadrado?

revest 9

O revestimento hexagonal se utiliza das juntas e do rejunte em vez de ser usado para disfarçá-los. Essa é outra característica que o diferencia dos demais.

E tem dicas, claro, para maximizar o sucesso desse material. Vamos trazer algumas:

1 – ESCOLHA UM CAMINHO

Na hora de escolher o hexagonal já defina que linha quer seguir. Se o estilo da casa for mais moderno, por exemplo, o ideal é uma peça maior, com acabamento mais fosco e com uma pegada mais “industrial”. Para uma decoração retrô se indicam revestimentos menores, tipo pastilhas mesmo.

revest 5

2 – OBSERVE O AMBIENTE

Ele permite muita coisa, mas ainda deve conversar de alguma forma com o restante da decoração. Se o restante do espaço for mais clean e neutro você pode deixar o ponto de foco nos hexagonais e ousar com algo colorido ou acabamento mais exótico. Mas se o ambiente já tiver informação demais, vale deixar o revestimento mais discreto. A ideia é destacar o formato, mas sem conflitar com a decoração.

revest 12

3 – CALCULE A QUANTIDADE

Como saber quantos hexágonos serão usados? Tem uma continha padrão: multiplique a medida do comprimento pela largura do espaço que será revestido. O resultado será a área que deve ser coberta, então é preciso calcular a área de cada peça que irá revestir essa metragem. Os pisos têm tamanhos variados, então a conta deve levar isso em consideração.

revesttt

4 – PENSE FORA DA CAIXA

Com esse revestimento você pode ousar. Apenas um pedaço da parede, mistura de cores, degradê no piso... uma infinidade de possibilidades. Se couber no seu projeto, faça isso. Aproveite o que ele permite. E mesmo sendo mais comum em banheiros e cozinhas você não não precisa também se limitar a eles. Com a composição certa, ele pode fazer sucesso em qualquer cômodo. Se joga nas possibilidades.

revest 8

5 – LEMBRE-SE DA VARIEDADE

Nem só de azulejos vive o formato hexagonal. Com toda a versatilidade desse formato, você pode pensar nele em outros materiais também. Por exemplo, as placas e quadros hexagonais podem ser combinados para revestir uma parte da parede que você quer destacar, com o bônus de possibilitar o uso de imagens em cada uma delas para criar um efeito ainda mais marcante.

reveessa

 Que tal se jogar na tendência dos queridinhos da decoração? Esperamos que nossas dicas tenham ajudadp.

E temos mais uma: tem peças hexagonais cheias de personalidade no site www.pregoemartelo.com.br

Texto: Adriele Nardelli - jornalista e redatora Prego e Martelo